6 dicas para os professores tornarem as aulas online mais interessantes para os alunos

Com o distanciamento social, as escolas estão se adaptando para continuar fornecendo conteúdo para seus alunos. A grande dificuldade é fazer com que as sejam interessantes, já que agora a interação em tempo real é bastante reduzida ou nenhuma. Com isso é preciso buscar novos métodos, materiais de apoio e táticas diferentes para prender a atenção e conseguir passar a matéria.

A especialista em palestras memoráveis, Tathiane Deândhela, conta como é possível aplicar as técnicas que ela usa em suas apresentações até internacionais para tornar a aula online uma nova forma de aprendizado.

1 – Gamificação

Também conhecida como ludificação, é a técnica de trazer um pouco do princípio de jogos e videogames para aula. Tendo feedback imediato para os alunos com parabéns e recompensas. Joguinhos que facilitem o aprendizado e dinâmicas para que a aula fique mais divertida e os objetivos fiquem claros. Dessa forma os alunos conseguem se esforçar para atingir as metas e serem recompensados por isso, como nos jogos que já fazem parte do mundo dessas gerações.

2 – Storytelling

Trabalhar técnicas de storytelling é muito interessante. Esse professor tem que ser um exímio contador de histórias. Ele precisa desenvolver habilidades de contar, desenvolver e adaptar histórias para que consiga envolver os alunos. Praticar o lado artístico é uma ótima ideia também, fazer paródias, criar musiquinhas para facilitar a absorção do conteúdo. Então a ideia seria usar habilidades artísticas também para poder tornar esse momento mais envolvente.

3 – Participação do aluno

Colocar o aluno para participar, fazer perguntas, criar formas de interação para que o aluno não fique muito tempo ouvindo. A participação em duplas ou trios, mesmo online, ajuda a compreender o conteúdo. Praticar a escuta entre eles pode ser bastante positivo.

4 – Quebra de estado

Essa técnica de neurolinguística serve para tirar o ouvinte do estado em que se encontra e voltar a atenção dele a outro ponto. Em uma aula ou palestra, o ideal é que a cada sete minutos se faça uma quebra de estado. Ou seja, alguém que está falando, principalmente no mesmo tom, por muito tempo seguido, a cada sete minutos é interessante que faça alguma coisa diferente: passar um vídeo, uma música, uma interação ou uma história. Isso torna o aluno mais presente e a aula fica muito mais envolvente, muito mais prazerosa.

5 – Oratória

Em alguns momentos falar mais alto, mais rápido, em outros mais baixo e mais devagar. Trabalhar toda essa entonação, quais palavras, quais expressões é preciso dar mais ênfase e falar com mais força. Ter um momento de silêncio também, uns 2 ou 3 segundos, que faz a pessoa conseguir pensar e interagir.

6 – Trazer elementos visuais

Um professor memorável precisa, além do storytelling, usar muitas analogias e metáforas. Então tudo o que ele vai falar ele pensa em formas mais criativas de se falar a mesma coisa. Imaginar o que é possível comparar com coisas do cotidiano, com coisas do dia a dia do público. Então sempre que ele traz comparações, analogias, metáforas e outros elementos que trazem visualização, que demonstram aquilo que ele quer dizer faz com que o aluno se conecte com aquilo que está sendo passado e memorize com mais facilidade.

Tathiane Deândhela é palestrante internacional e especialista em produtividade, marketing, negociação e liderança com formação em universidades como FGV, Harvard, Atlanta e Ohio. Como especialista em Produtividade escreveu o best-seller: “Faça o tempo trabalhar para você”, que já está na 5ª edição e em junho lança “Faça o tempo enriquecer você”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *