Benefícios do esporte na terceira idade

O momento pede atenção e cuidado, perante o isolamento social proposto é normal para quem já fazia exercícios que estes estejam sendo realizados uma ou duas vezes na semana.

E para os idosos é durante essa fase que eles devem investir em atividades prazerosas e que movimentem o corpo, que espantem o tédio e divirtam.

Praticar algum é sinal de preocupação com a saúde, as atividades ajudam a prevenir e combater doenças como, hipertensão, diabetes, varizes, derrames e obesidade.

O idoso que está disposto a melhorar o seu condicionamento físico é capaz de praticar atividades básicas da rotina como, cuidar do jardim, limpar a casa e até mesmo levantar da cama sem dificuldades eles também tem a sua imunidade fortalecida, além de ajudar na memória, concentração e evitar acidentes que possam ocorrer dentro de casa, como quedas.

Daniel Carvalho, ortopedista, comenta “Engana-se quem acredita que o esporte na terceira idade é totalmente dispensável, é durante essa fase tranquila e livre de preocupações da vida que o idoso deve procurar um profissional e não deixar o sedentarismo acontecer”.

Foi comprovado por estudiosos que o exercício físico feito por volta dos 50 anos de idade ameniza a rigidez arterial e depois dos 70, reduz o risco de morte em até 70%.

Daniel ensina, “A atividade deve ser diversificada e seu grau de intensidade deve ser adaptado para cada pessoa.

Algumas ações como rotacionar os pés e as mãos, esticar as pernas e subir alguns degraus já ajudam na rotina do idoso”.

Mas antes de começar qualquer exercício é importante que o praticante entre em contato com um especialista.

Vale ressaltar, também, os benefícios para a saúde emocional como, melhora na qualidade do sono, diminuição do estresse, ansiedade e depressão, bem como, gera a sensação de bem estar e relaxamento.

Por isso, ficar em casa não é motivo para ficar parado, os exercícios físicos podem ser realizados em qualquer idade e são uns dos principais provedores de uma vida saudável assim como os bons hábitos alimentares que devem estar alinhados com a prática.

Por Dr. Daniel Carvalho, ortopedista da Ortopedia do Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *