Brasileiros deixam de ir ao médico desde o início da pandemia

Percebe-se que ao tentar conter a , outros problemas de saúde são negligenciados.

Desde que surgiram os primeiros casos de coronavírus na China em dezembro de 2019, o vírus têm se espalhado de forma devastadora em todo o mundo.

No Brasil, além das medidas de segurança adotadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e os estados, cada um se protege como pode. Reflexo disso, é o número de pessoas que deixaram de ir à um hospital ou centro de saúde, por medo de se infectar.

Trocando Fraldas, em seu mais recente estudo, constatou que de todos os entrevistados, pelo menos 61% deles deixaram de ir à uma consulta médica desde que a pandemia começou.

Sendo assim, percebe-se que ao tentar conter a pandemia, outros problemas de saúde são negligenciados, exames não são feitos, e falta prevenção, como por exemplo para o câncer ou doenças infecciosas.

Em Roraima, pelo menos 74% dos participantes deixaram de ir à uma consulta médica desde que a pandemia começou.

Logo em seguida aparecem o Acre, o Amazonas e a Paraíba com 70% dos entrevistados. Já no Rio de Janeiro, segundo estado mais afetado pelo vírus, 62% da população já deixou de ir ao hospital. E em São Paulo, o estado mais afetado, o percentual é de 59% dos participantes.

Rio Grande do Sul e Santa Catarina são os estados que apresentam os menores percentuais, 50% e 49% respectivamente.

Ademais, constatamos também que, 3 em cada 7 brasileiros conhecem alguém que já foi infectado pelo coronavírus.

Em São Paulo, 45% dos participantes conhecem alguém que já teve ou tem Covid-19. No Rio de Janeiro, mais da metade dos entrevistados conhecem alguém que já foi infectado pelo vírus.

Cenário esse que se repete no Amazonas, Pará e Amapá, sendo que por lá esse percentual passa de 70%. Já no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais, somente 20% da população conhece alguém que já pegou coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *