Calvície: Afeta mais de 2 bilhões de pessoas no mundo

Redução total ou parcial de cabelos em alguma região da cabeça, atinge mais de 2 bilhões de pessoas no mundo, sendo que, mais de 100 milhões são mulheres;

 Transplante de barba tem sido recurso permanente para homens que têm poucos pelos

O ser humano perde de 60 a 100 fios de cabelo diariamente. Não é à toa que muitos deles são percebidos com mais frequência no ralo do banheiro, travesseiro, escova ou até mesmo caído nas roupas.

O problema é quando os fios começam a cair em maior quantidade, induzindo a calvície ou a perda parcial ou total dos cabelos do couro cabeludo em mulheres e homens.

E não é apenas no couro cabeludo da cabeça, muitos sofrem com falta de pêlos na região do rosto e sobrancelhas, por exemplo.

A calvície afeta mais de 42 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Cabelo, que estima que 50% das mulheres têm alguma queixa relacionada à queda de cabelos.

Além disso, dados da Academia Americana de Dermatologia (AAD) apontam que a alopécia, caracterizada pela redução total ou parcial de cabelos em alguma região da cabeça, atinge mais de 2 bilhões de pessoas no mundo, sendo que, mais de 100 milhões são mulheres.

Outro dado que chama a atenção é a calvície entre os mais jovens. Pessoas com idade entre 20 e 25 anos e também metade dos homens com até 50 anos estão sendo atingidos, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde).

“Se para os homens a calvície já gera incômodo, imagina para as mulheres. 30% delas sofrem de calvície androgenetica, com recuo da testa para a cabeça evidente por conta da linha de contenção capilar afastada.

Ela começa a perceber a pele do couro cabeludo ou notar o casco da cabeça avermelhado após exposição solar.

A perda de fios pode se iniciar na adolescência, mas, muitos casos têm início após a menopausa”, explica a dermatologista e tricologista, Thalita Carlesso.

Desencadeador da calvície

Mas quais fatores levam à calvície? Thalita afirma que uma das causas de Alopecia (calvície) ou queda anormal dos cabelos é a androgenética, calvície é de origem genética.

Outra doença é a alopecia areata, que provoca queda dos fios em alguns locais específicos do couro cabeludo; alopecia frontal fibrosante, que acomete a parte da frente da cabeça, bem como das sobrancelhas e, em alguns casos, dos pelos dos braços e pernas.

Além disso, têm também quedas por disfunções hormonais, deficiências nutricionais, dentre outros fatores e de uma doença inflamatória crônica, chamada de líquen plano, que também pode desencadear à queda dos cabelos.

Como funciona o

Existem dois tipos de transplantes capilares, o FUT, que consiste na realização de um corte na nuca, retirando cerca de 2 cm de largura de pele e recolhendo os fios da região para serem implantados e o transplante FUE, que retira fio a fio, puxa também a raiz capilar e os coloca um a um na área que será submetida ao transplante, deixando microcicatrizes, que são imperceptíveis.

“O que retira não nasce mais. Também existe um limite para retirar os fios, por isso tudo é cálculo matemático.

Uma vez implantado, de 1 a 3 meses os fios caem, independente da técnica utilizada, mas a raiz produz novos fios que nascem com as mesmas características de onde foi retirado.

Com 4 meses começam a crescer e em 6 meses vemos resultado, mas são com 12 meses que os fios ficam completamente sincronizados, dando resultado natural ao paciente”.

A dermatologista esclarece ainda que no transplante, são usados fios naturais da própria pessoa, podendo ser da cabeça, de uma parte que ainda tenha cabelo e, em casos extremos, podem ser utilizados fios da barba, tórax, por exemplo, enquanto no implante são usados fios artificiais.

Transplante de barba e sobrancelha

É notório que a barba ganhou a adesão de muitos homens. Mais cheias ou mais aparadas continuam na moda e não devem sair tão cedo.

O fato é que nem todos nasceram com a predisposição genética de ter pelos no rosto, o que justifica a busca do transplante capilar, método definitivo para obter o visual “barbado”.

Enquanto uns não tem nada, outros sofrem com pequenas falhas nos pelos do rosto, do cavanhaque, das costeletas ou bigodes ou simplesmente sonham com uma barba mais densa.

Quando se fala em deficiência capilar também não podemos esquecer das mulheres.

Assim como os homens, além sofrer com a calvície, também buscam tratamento para encher a sobrancelha.

No caso da barba e da sobrancelha, a técnica se assemelha a um transplante capilar, onde os fios (de barba ou de cabelo) são retirados de regiões específicas e reimplantados na área com deficiência.

A quantidade de sessões varia de acordo com o quadro do paciente, mas, na maioria dos casos, uma única sessão é suficiente para preencher o volume desejado.

“Após a cirurgia, com o processo de crescimento normalizado, o paciente pode fazer a barba normalmente, já que os fios ficam naturais e estáveis”.

O transplante é voltado para homens com barbas falhas e ralas ou para os que perderam pelos por algum tipo de doença.   

Por Dra Thalia Carlesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *