Como podemos conviver e superar o medo da morte?

morte

Ter de morrer é algo tão natural quanto a certeza de que todos nós partiremos um dia. Mas, este pode ser causada por questões diferentes para cada pessoa. Algumas têm de deixar seus parentes em uma situação ruim (ou de que eles sofram demais), outros têm de sofrerem durante a .

Mas, a grande maioria tem medo mesmo é de não viver a vida como gostariam, de não ter tempo para realizarem tudo que planejaram. Na verdade, nestes casos, o medo da morte está mais atrelado ao medo da vida.

Se você não vive a sua vida como gostaria, usando o seu tempo com o que lhe dá prazer e com as pessoas que lhe faz bem, existe uma grande chance de acabar se arrependendo das suas ações, tornando a morte algo terrível e um sofrimento impensável: afinal ela significa que não haverá mais tempo para tentar de novo e para fazer dar certo.

Caso este seja o seu caso, então a dica para o medo da morte é começar a viver a vida como você deseja. Não importa a idade que você tenha ou a condição de saúde em que esteja, ainda há tempo. Saia de relacionamentos que não lhe fazem bem, mude de emprego ou tome decisões que estejam mais de acordo com quem você é.

Como podemos e superar o medo da morte?

Como podemos conviver e superar o medo da morte?

Tomar as “rédeas” da sua vida pode fazer com que o medo da morte seja menor, porque você sabe que estará vivendo da maneira que deseja.

Aceite que morrer é algo natural
Outro problema que pode estar causando o medo da morte é a falta de comunicação e diálogo sobre ela. Se não nos sentimos preparados emocionalmente para uma perda, lidar com esta situação pode ser mais complicado.

E, como dissemos no início deste artigo, infelizmente a morte ainda é vista como um tabu em muitas famílias, sendo que várias pessoas simplesmente “desconsideram” essa possibilidade e acabam não se preparando para ela.

Quando você passa a entender e aceitar que a morte é algo natural e que acontecerá com todas as pessoas, fica mais fácil ter uma visão realista sobre ela, permitindo que você tenha ações práticas no sentido de vencer esse medo.

Esta forma de encarar o mundo também poderá ser compartilhada com os seus familiares, ensinando seus filhos, por exemplo, que a morte é algo natural e que as crianças terão de lidar com ela em algum momento, se não for na infância, em alguma fase da vida.

Conversar sobre o luto, a perda e até as questões relacionadas à espiritualidade é importante, entendendo as preferências dos seus familiares para quando o momento chegar e estando preparando psicologicamente para isso.

Tenha rituais e uma visão mais espiritualizada sobre a morte
A verdade é que ninguém sabe o que acontece depois que morremos, e esta incerteza pode causar angústia em algumas pessoas. Mas, não é porque você não sabe, que não precisa acreditar em nada. Na verdade, não acreditar em vida pós morte, já é acreditar em alguma coisa – e assim poder moldar a sua vida neste sentido.

Se para você a morte encerra o seu ciclo, e não existe nada “do lado de lá”, tornar a sua vida ainda mais significativa é extremamente importante, aproveitando todos os momentos que pode.

Porém, muitas pessoas têm suas próprias crenças sobre o pós-morte, que podem ter caráter espiritual diferentes. E, essa visão, é importante. Se a sua crença lhe ajuda a reduzir o impacto que a perda de alguém lhe causa, então invista nela.

Leia o que diz a Bíblia ou outros livros religiosos, e tenha rituais para se despedir e para se lembrar daqueles que já se foram. O velório, por exemplo, é um ritual importante porque nos permite sentir a morte e a perda, e encerrar um ciclo.

Mas, existem muitos outros que você poderá ter, dependendo das suas crenças. Acender uma vela para alguém que partiu, fazer suas orações, levar flores ao túmulo – todas estas são atitudes que ajudam a aliviar a dor da perda de um ente querido e também a reduzir o medo da morte, porque você passa a acreditar que existe “algo a mais”, além da nossa vida terrena.

Independentemente de qual seja a sua crença, aceite-a e fortaleça o seu lado espiritual, buscando respostas para as suas principais dúvidas.

Busque viver bem e dar sentido a sua vida
Uma vida vazia de sentimentos e significativos pode ser angustiante e trazer com ela o medo da morte. Se você vive apenas para dormir e trabalhar, por exemplo, pode achar que a sua existência não tem sentido e a morte poderá encerrar todas as suas possibilidades de ser feliz.

Por isso, tente valorizar os pequenos gestos e os momentos rotineiros. Tente dar valor a sua vida e as suas ações, como ajudando outras pessoas, adotando um animal de rua, fazendo caridade, entre outros.

Uma ideia é criar uma lista com itens que você deseja fazer por si mesmo e também para tentar dar um sentido a sua existência. Desde que, claro, estas sejam metas reais e possíveis. Quem está muito ocupado vivendo e sendo feliz, não tem tempo para pensar ou ficar paralisado com o medo da morte.

Planeje a sua passagem
Outro fator que pode estar causando o seu medo da morte é a dificuldade em entender como os seus familiares e amigos viverão sem você. Embora não seja possível fazê-los não sofrerem com a sua perda, você poderá planejar para que eles não fiquem mal financeiramente, por exemplo.

Começar a planejar ainda em vida para que seus filhos ou seu cônjuge tenham uma vida financeira mais estável ajuda a lidar melhor com a morte, mesmo que não tenha nenhuma doença ou problema real lhe acometendo no momento.

O mesmo vale para conversas com seus familiares e amigos, orientando sobre como você deseja ser sepultado (ou se prefere ser cremado) e até pensando em comprar um jazigo ou uma cremação futura, por exemplo.

Estas ações ajudam a reduzir a ansiedade e o medo da morte, pois você terá a ideia de que está realmente tomando atitudes e deixando quem você ama mais amparado para quando o seu momento chegar.

E, então, estas dicas lhe ajudaram a reduzir e superar o medo da morte? Se você ainda tem alguma dúvida sobre este assunto, deixe um comentário pra gente, ou compartilhe a sua opinião sobre o tema.

Website: https://cemiteriosemmisterio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *