Como praticar e aplicar a diversidade nas empresas?

Hoje a não se apresenta mais como uma opção às empresas, mas como uma obrigação das instituições que querem se manter relevantes e chamativas aos olhos do público.

Mas, afinal, o que exatamente é diversidade? Por que ela é importante para as empresas e como fomentá-la? Veja abaixo como praticá-la e aplicá-la e, de quebra, garantir melhores resultados.

Diversidade nas empresas: O que esse conceito significa?

A diversidade se ilustra por meio da , dentro de uma , relacionada ao gênero, raça, idade e sexualidade de seus colaboradores. Ou seja, nesse caso há uma fuga do padrão e a valorização da pluralidade.

Assim, pode ser considerada como uma equipe diversa aquela que possui em sua composição pessoas de diferentes formações, gêneros, raças, experiências e posicionamentos.

As novas gerações estão dentre as grandes responsáveis por essa mudança de foco e valorização da pluralidade, uma vez que fomentam discussões do tipo.

As mudanças trazidas por elas geram claro reflexo no mercado de trabalho, uma vez que são esses indivíduos que comporão a força de trabalho, a mão-de-obra das empresas que compõem o mercado.

Portanto, temas como acessibilidade, empoderamento e diversidade ganharam força na pauta empresarial, bem como na sociedade, invadindo desde conversas de botequim a discussões conjuntas em grandes empresas.

Essas novas discussões afastaram a padronização dos empregados de uma empresa para a abertura das portas à pluralidade e à multiculturalidade que trazem diversos benefícios à própria organização.

Além da possibilidade de enxergar novas soluções a partir de mentes plurais, a organização também passa a chamar mais a atenção do público que é antenado a essas questões e que escolhe os locais em que consome, muitas vezes, com base em questões como essa.

Embora aplicar e praticar a diversidade dentro da sua empresa possa parecer um desafio, há algumas dicas importantes para tornar sua empresa mais plural!

Quais as vantagens da pluralidade dentro de uma empresa

É necessário destacar, com maiores detalhes, a importância da diversidade dentro de uma empresa. São diversos os motivos que as tornam especiais perante as organizações, veja alguns.

  • Aumento da criatividade do grupo: quando se tem uma equipe formada prioritariamente por membros com as mesmas características, experiências e visões de mundo a criatividade tende a ser limitada. Investir na pluralidade dos membros possibilita que cada um deles, com base em suas visões diferenciadas, exercitem a criatividade do grupo.
  • Proposição de soluções diversas para um problema: essa vantagem está intimamente ligada à anterior. Isso porque o maior uso da criatividade também possibilita que inúmeras proposições, de natureza diversa, sejam propostas. Ou seja, uma equipe homogênea tende a focar em uma solução, enquanto a heterogênea possibilita a apresentação de mais de uma solução utilizando caminhos diversos.
  • Abertura de oportunidades para a inovação e aumento da conexão com um público maior: a diversidade interna reflete externamente, também. Ou seja, a pluralidade dentre os colaboradores de sua empresa que atuam de formas diversas e propõem diferentes soluções também atrai outros públicos.
  • Construção de imagem perante o público: a pluralidade é importante na medida em que demonstra ao público a preocupação da empresa com a diversidade, fazendo com que ele se sinta representado, portanto.
  • Desenvolvimento de um clima organizacional mais propício ao crescimento pessoal e profissional dos funcionários: a construção de equipes heterogêneas permite que uns aprendam com os outros com base em suas diferentes percepções, de forma que todos saem ganhando.

Todas essas vantagens da diversidade dentro das empresas somente se configuram quando essa pluralidade é entendida como realmente necessária.

Afinal, como aplicar e promover a diversidade dentro das empresas?

Existem diversas formas de impulsionar o desenvolvimento e enraizamento da diversidade nas empresas. Abaixo, separamos um passo a passo que pode auxiliar em muito nessa empreitada.

1.      Avalie e mensure o quadro de funcionários

Primeiramente, é necessário promover uma avaliação profunda do quadro de funcionários. Dessa maneira, deve-se estudar cada uma das equipes que compõe a organização com base na pluralidade, ou não, de gêneros, raça, sexualidade, idade e outros.

Além disso, procure analisar o que levou à contratação dessas pessoas em específico. Após, analise novamente sua empresa com base no quadro geral, quando é possível entender quais equipes são mais ou menos destoantes quanto à pluralidade.

2.      Trabalhe a cultura organizacional

Procure entender se há algum tipo de sentimento, por certos membros ou equipes, de exclusão, ou ainda se essa cultura de alguma forma se manifesta no interior da instituição empresarial.

Também, procure levantar questionamentos sobre a possibilidade de a empresa valorizar sempre o mesmo tipo de profissional ou característica pessoal, assim como se existe, internamente, espaço dedicado à inovação e à valorização da inclusão.

Nesse sentido, ideias divergentes ou fora dos padrões comuns são acatadas ou ao menos analisadas e estudadas com atenção? Há espaço para manifestação dos empregados? Há clareza quanto à liberdade interna e à fomentação da criatividade?

Essas são apenas algumas das perguntas que os gestores devem fazer a si mesmos quando o assunto é diversidade dentro da empresa.

3.      Preste atenção aos processos de recrutamento

Para tornar uma empresa diversificada em relação aos seus colaboradores é necessário também uma análise sobre os processos de recrutamento que são utilizados. Nesse sentido, é necessário se livrar de processos que sempre focam nas mesmas características pessoais, formação universitária (tanto quanto à instituição quando ao curso) e outros.

Isso porque esse tipo de processo tende a pender para a heterogeneidade das equipes, que é o que justamente está se buscando mudar.

Dessa maneira, evite fazer processos seletivos que, de alguma maneira, permitam que preconceitos até mesmo inconscientes se manifestem.

Uma boa forma de evitar esse tipo de seleção que, mesmo de forma inconsciente, exclui parte de seus bons candidatos por fatores aleatórios, é investir no uso de softwares e ferramentas de recrutamento. Essas têm o poder de identificar quem são as pessoas que se candidataram à(s) vaga(s) e que realmente são qualificadas para a vaga.

Nesse sentido é possível driblar fatores que podem ser motivos de discriminação mesmo que este seja, repita-se inconsciente.

Contratações às cegas também são ótimas opções para aumentar a diversidade dentro da equipe.

4.      Invista na comunicação interna

A comunicação interna está intimamente ligada à promoção da diversidade interna de uma empresa, pois é por meio dela que será possível demonstrar à valorização das diferenças, assim como fomentar um ambiente democrático e de trocas de ideias que, por sua vez, tendem a auxiliar a empresa e a aumentar a criatividade de suas equipes.

É necessário trabalhar o acolhimento entre os colaboradores, assim como, se necessário, fomentar palestras e discussões que digam respeito às diferenças e à valorização de todos os colaboradores em suas próprias pluralidades.

Ressalta-se que além de atrair colaboradores mais diversos para a empresa é necessário que esta instrução saiba como manter essa diversidade.

Dessa forma, portanto, é preciso que sejam criados mecanismos que possam facilitar a interação e a construção de relações saudáveis ​​e uma comunicação fluida entre desiguais.

Assim, busque formas para fazer com que a interação entre as equipes heterogeneamente formadas seja maior, assim como para fazê-las valorizar o trabalho e desenvolvimento de ideias de quem age e pensa de maneira diversa.

A diversidade somente tende a acrescer às empresas, uma vez que ela possibilita que haja o desenvolvimento de técnicas e soluções diferenciadas, bem como faça com que a instituição cresça aos olhos não só do público, mas do próprio mercado de trabalho e dos melhores profissionais que buscam se colocar nas melhores empresas.

Colocar em prática os questionamentos acima listados, portanto, é essencial para que se dê início a uma era plural dentro da empresa por meio não só da autoanálise comportamental da instituição, mas também com a proposição de soluções que procurem torná-la mais heterogênea.

Com informações OITCHAU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *