Congelamento de Óvulos: 5 dúvidas sobre o procedimento

Segundo dados da OMS (Organização Mundial de ) o número de mulheres inférteis em todo o mundo cresce a cada ano. A organização aponta que são cerca de 80 milhões de casos, sendo 8 milhões apenas no Brasil.

Em último levantamento da REDLARA (Rede Latino-Americana de Reprodução Assistida), o Brasil lidera o ranking latino-americano dos países que mais realizam in vitro e transferência de embriões.

Apesar de não existir uma idade limite para passar pelo procedimento, as mulheres precisam estar cientes de que a partir dos 40 anos as chances de sucesso diminuem. Segundo o doutor Fernando Prado, ginecologista e obstetra, especialista em reprodução humana da Clínica Neo Vita, o envelhecimento reduz a quantidade de óvulos produzidos. “Por isso a recomendação da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana é que o congelamento seja feito até os 35 anos. A partir dessa idade existe uma diminuição considerável da qualidade de óvulos que pode comprometer o resultado final”, alerta.

O especialista responde as principais dúvidas sobre o procedimento:

1. Quando o é indicado?

Muitas mulheres acabam recorrendo ao procedimento por não ter previsão de quando terá o desejo de engravidar, mas desejam conservar a fertilidade. Com a chegada do coronavírus, muitas mulheres tiveram que adiar os planos de gestação e viram no tratamento uma alternativa para ser retomada num futuro.

Além disso, o congelamento de óvulos também é indicado para mulheres que passarão por tratamento oncológico e mulheres com histórico de menopausa precoce na família.

2. Como o congelamento é feito?

Primeiramente a mulher passa por exames que avaliam sua condição de saúde e se há alguma doença que possa interferir no tratamento. Após isso, a técnica consiste em estimular o ovário feminino por meio de medicamentos para ele produzir óvulos extras e serem extraídos com o manuseio de uma agulha específica guiada por ultrassonografia com a paciente sedada. Os óvulos retirados são tratados para serem congelados por tempo indeterminado

4. Existe uma quantidade ideal de óvulos que devam ser congelados?

O número ideal de reserva suficiente geralmente é de 10 a 15 óvulos. Mesmo assim, para conseguir chegar ao sucesso do tratamento cada caso é avaliado pontualmente.

4. Como é feita a fertilização?

Os óvulos são fecundados com o espermatozoide do parceiro ou em casos de produção independente ou homoafetivo feminino é feito com espermatozoides do banco de sêmen. O procedimento, feito em laboratório, transfere os embriões para o útero. Em casos de embriões excedentes, há a possibilidade de congelamento.

5. Quais são as chances do sucesso na com os óvulos congelados?

Tudo depende da idade da mulher e da qualidade dos óvulos que foram congelados. Quanto mais cedo, até os 35 anos, maior a taxa de sucesso.

“Para a melhor segurança da paciente é fundamental procurar um especialista de confiança e uma clínica que siga todos os padrões da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana”, finaliza Prado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *