Crianças e pets: Confira bons motivos para você estimular essa convivência

Foi-se o tempo em que ter um animal de estimação era visto como arriscado  para a das .

Hoje em dia, está comprovado que ter traz muitos benefícios para os pequenos: como auxiliar no combate e prevenção de certas doenças até ser capaz de levar mais felicidade para as crianças. 

Mas, se você ainda tem dúvidas sobre as vantagens que isso pode trazer para seus filhos, a Pediatra e Alergista Infantil, Dra. Felícia Szeles, reuniu alguns dos bons  motivos para você estimular essa convivência: 

  • Benefício na  – um dos maiores medos dos pais está relacionado às  alergias que os pets podem causar, mas os estudos mostram justamente o  contrário: ter animais de estimação desde bebê diminui a chance de rinite alérgica, asma e dermatite atopica. Isso acontece porque a presença dos animais acaba estimulando o sistema imune, permitindo a aquisição de tolerância e impedindo  o surgimento dessas alergias. Além disso, por melhorar o bem estar psicológico como um todo, diminui o stress, o que promove também uma melhora da  imunidade; 
amamentar
  • Ajuda no combate à obesidade – ter um animal sempre deixa a criança mais  ativa, principalmente os que ela pode interagir mais, como gatos e  cachorro. Brincar e passear com os pets não deixa de ser um exercício,  diminuindo o sedentarismo e o tempo de telas, ajudando no controle da  obesidade; 
  • Auxilia no tratamento da ansiedade e depressão – principalmente nessa época  de pandemia, ter um companheiro em casa pronto para dar e receber carinho, alivia a tristeza desse isolamento social e permite suportar toda essas  mudanças de rotina com mais calma e tranquilidade; 
  • Ajuda com as emoções – a comunicação não verbal com um animalzinho é capaz  de ensinar muitas coisas do ponto de vista emocional, como a demonstração de  amor, a percepção de necessidades (como fome, medo, carinho), o cuidado com  o próximo, a noção de responsabilidade e a empatia. 

“São muitos os benefícios dessa relação crianças e pets e sempre que sou  questionada sobre isso explico muito bem cada um deles.

Mas vale lembrar que se a  criança já for alérgica, converse com o médico primeiro para verificar qual animalzinho  seria o mais ideal.”, explica a especialista. Dra. Felícia Szeles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *