Dietas restritivas: Conheça os riscos do emagrecimento a qualquer custo

Depois de ficar meses longe da academia e de fazer da cozinha de casa um passatempo, muitas pessoas têm se queixado do aumento de peso durante a pandemia do coronavírus.

Agora, com a chegada do verão e a proximidade das festas de fim de ano, o desejo de perder peso rapidamente tem se tornado uma necessidade para quem acumulou quilos extras.

Ao mesmo tempo, tem surgido a cada dia “métodos milagrosos de emagrecimento” e dietas que prometem o corpo dos sonhos à quem se comprometer segui-las.

Apesar de parecerem fáceis, dietas muito restritivas, sem acompanhamento, podem trazer riscos à saúde, além de provocarem o efeito contrário ao emagrecimento.

“As pessoas acham que em uma semana vão conseguir se livrar de meses de alimentação desregulada, acúmulo de gorduras e do aumento do peso na balança, em um mês ou até menos tempo.

Porém além de não provocarem perda de peso de forma saudável, ainda podem fazer carências de nutrientes e vitaminas no organismo”, salienta a nutróloga e endocrinologista Bruna Manes.

“A perda de peso deve ser uma consequência da alimentação saudável, da mudança de hábitos e da rotina de atividades físicas”, completa.

Ainda sobre as , a especialista em modulação hormonal e em nutrologia, explica que é preciso contar com a ajuda de um profissional qualificado para não gerar consequências sérias, como perda de massa muscular, quedas de cabelo, cansaço extremo, entre outros.

“Às vezes, como medida inicial de um tratamento e com acompanhamento, é interessante apostar em dietas mais restritivas, mas nunca deve-se fazê-las sozinhas, para perder peso rapidamente.

Sempre digo que o importante é fazer mudança de hábito alimentar para não ter carências nutricionais e acabar voltando a ganhar peso e gordura, finaliza.

Por Dra. Bruna Manes está disponível para entrevistas sobre o tema e outros assuntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *