Estudo mostra a redução do número de bebês nascidos nos feriados nacionais

Só no ano passado nasceram mais de 2,6 milhões de bebês no Brasil e, em 2019, esse número foi de 2,7 milhões, de acordo com os dados do portal de Transparência da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen). 

As maternidades ficam movimentadas em certas épocas do ano. Por bastante tempo especulou-se que o carnaval seria o período de maior incidência de gestações, ocasionando nascimentos 9 meses após o feriado carnavalesco, entre novembro e janeiro do ano seguinte.

Ledo engano: um realizado pela proScore, bureau digital de crédito e authority de score, aponta que do ano 2000 para cá, o mês de março foi o que mais registrou nascimentos em relação aos demais meses do ano, 9,5% do total, seguido por maio (9%) e abril (8,9%).

Ou seja, considerando a com variação entre 38 e 40 semanas, significa que os filhos foram concebidos entre os meses de julho a setembro, no Brasil.

A diferença entre o mês que mais tem nascimentos – março – e o que tem menos – novembro – é bastante significativa: 30%.

Outro dado curioso do indica uma baixa nos nascimentos em datas comemorativas. Ao longo dos últimos 20 anos os feriados nacionais, como Natal, Réveillon e Finados mostra também a redução do número de bebês nascidos nos feriados nacionais em comparação com demais datas, têm, em média, uma redução de 35% na quantidade de nascimentos em relação as outras datas.

Esse movimento em feriados indica tendência de relação com os partos agendados, seja por cesariana ou por indução.

Por grupo proScore

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.