Insônia, hipersonia e pesadelos são queixas comuns nos consultórios durante o isolamento

Especialistas da saúde têm reforçado o aumento no número de pacientes que chegam aos consultórios relatando dificuldades para dormir em meio à pandemia.

Este é um fenômeno que está relacionado a muitos fatores, entre eles, a mudança brusca na rotina que reflete em uma falta de disciplina com relação aos horários, além de pensamentos ligados à ansiedade e sedentarismo. 

“O possui alguns reguladores que são afetados quando mudamos nossa rotina. Um deles é o ciclo da luz e da escuridão e o cansaço: quando chega à noite, o corpo sente necessidade de descansar.

Se acordamos muito tarde, perdemos o sol da manhã e isso influencia na qualidade do sono”, revela Dra. Lívia Salomé, especialista em Medicina do Estilo de Vida pela Universidade de Harvard.

Outro relato comum dos pacientes são os . “De modo geral, as pessoas estão ansiosas, com pensamentos negativos e mais irritadas e tudo isso potencializa o estresse”, afirma a médica.

Da mesma forma, a sobrecarga ocasionada pelas tarefas – como cuidar da casa, ajudar as crianças com as lições e trabalhar em home office – também contribuem para a .

“O isolamento como um todo gera uma desorganização dos hábitos diários. Costumes negativos como deixar de lado os exercícios físicos, descuidar dos horários para alimentação e até ficar de pijama o dia inteiro, dificultam o momento de descanso à noite”, explica Dra. Livia.

O sono é fundamental para nossa saúde física e mental pois, enquanto dormimos, nosso organismo exerce as principais funções restauradoras do corpo, como reparo dos tecidos, síntese de proteínas e fortalecimento do sistema imunológico.

Também é durante o sono que nosso cérebro absorve o que foi aprendido ao longo do dia, consolidando a chamada memória de longa duração. Por isso, ter uma boa qualidade do sono faz parte de uma rotina de cuidados com a saúde. 

A médica preparou uma lista com hábitos saudáveis para ajudar a driblar a insônia:

1 – Exercite-se

Existem hoje inúmeros aplicativos para treinar em casa, além de boas opções no YouTube.

Por isso, não há desculpas: comece o dia com um alongamento mais completo e, principalmente se você trabalha sentado, pare a cada 50 minutos e alongue-se por cinco minutos. 

Tire vinte minutos por dia para uma caminhada leve, sem forçar para evitar lesões. É possível fazer isso na área comum do prédio, condomínio ou até mesmo na rua, mantendo o distanciamento

Outra alternativa para quem já tem um condicionamento melhor, é pular corda, que é um ótimo exercício aeróbico, além de ser um acessório barato e que não ocupa espaço e pode, inclusive, ser feito enquanto você assiste sua série favorita.

2 – Use as atividades domésticas em seu favor

O momento da faxina pode ser um treino: dê descanso para o aspirador de pó e use a vassoura. Na hora de descer com o lixo, dê preferência para as escadas.

Na hora das refeições, prepare sua própria comida em vez de pedir um delivery: isso faz com que você passe alguns minutos em pé e gaste mais energia. 

3 – Atente-se aos horários

Se você acordou às 11h, tomou café da manhã e começou a trabalhar, além de perder o sol da manhã , provavelmente seu organismo vai querer almoçar lá pelas 15h . Parece algo inofensivo, mas isso desregula completamente seu ritmo circadiano.

Se está com dificuldade de acordar mais cedo, uma dica é deixar o despertador longe da cama, para ter que levantar e desligar.

Uma boa sugestão também é fazer pelo menos dez minutos de atividade logo pela manhã, assim o corpo desperta melhor e a sensação de bem-estar te mantém ativo durante todo o dia; 

4 – Evite pensamentos negativos

Preocupações como “vou me infectar”, “vão me demitir” e “permaneceremos em isolamento”, causam ansiedade e afetam o sono. Evitar sofrer por antecipação e trocar pensamentos negativos  por agradecer pelas coisas boas ajudam o corpo relaxar e o sono vem mais fácil. 

5 – Limite a quantidade de notícias consumidas

Estar em casa leva as pessoas a uma necessidade maior de estar informado sobre o mundo lá fora. Mas é importante limitar a quantidade de notícias que vemos diariamente e, principalmente, buscar fontes confiáveis.

Lembre-se que há muitas fake news, inclusive sobre saúde, que causam ainda mais mal-estar e ansiedade durante o isolamento.

6 – Medite

A meditação é uma atividade mental tão importante quanto mexer o corpo. Comece meditando dez minutos por dia com exercícios de respiração, o que ajudará muito na ansiedade e qualidade de sono.

Se você tem dificuldades ou nunca meditou, há uma série de meditações guiadas na internet e até aplicativos gratuitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *