Inteligência Emocional: Importante desensolve-la em meio a pandemia

O e residencial surgiu repentinamente em nossas vidas com o objetivo de conter a disseminação da .

Junto com ele, chegou aos lares uma rotina inesperada: a convivência integral dos casais e filhos e tornou-se urgente entender suas emoções e saber como transformá-las, para, assim, gerar melhores resultados para todos.

A partir deste panorama, a Master Coach de Desempenho e Especialista em Inteligência Emocional (IE), Ana Kekligian, alerta que o desenvolvimento da IE é requisito para se ter um maior entendimento nas relações pessoais e profissionais.

É fato que a pandemia trouxe à tona vários questionamentos em todos os tipos de relações, sejam elas em casa ou no trabalho.

A plataforma Divórcio Consensual, que une advogados a pessoas que querem terminar a relação, aponta um aumento de 30% nos pedidos de divórcio, entre março e maio de 2020, comparados com o trimestre anterior.

Já o LinkedIn aponta em uma pesquisa que 39% de 2 mil profissionais em home office disseram se sentir mais solitários devido à falta de interação com os colegas do trabalho.

Estes dados deixam claro que estamos em tempos de muito estresse, e que grande parte dos desafios se encontram na esfera familiar, por isso, mais do que nunca, aumentar a qualidade de vida, é urgente e este ó o foco da inteligência Emocional que trilha as habilidades de conhecer e potencializar suas emoções, dando foco para elas e fortalecendo relacionamentos pessoais e interpessoais.

“O momento é realmente de mudança e há uma necessidade de adequação, porém, é essencial buscar o equilíbrio, estabelecer o diálogo e preservar valores, evitando, desta forma, danos e desmoronamentos.”, esclarece Ana Kekligian

Por Ana Kekligian é Master Coach de Desempenho e Especialista em Inteligência Emocional orientada para a vida pessoal e profissional e idealizadora da EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *