Joanete: Esclarecimentos das dúvidas mais comuns sobre a deformidade

Popularmente conhecido como joanete, o Hálux Valgus é uma da articulação metatarso-falangeana do dedão (hálux) que atinge cerca de 23% da população, sendo mais comum nas mulheres.

Quando ocorre, o dedão fica com uma protusão, ou um “caroço”, na região interna do pé, que, em última análise, faz com que o pé fique mais largo, causando dor e desconforto no atrito com os calçados.

De acordo com o médico ortopedista Tiago Baumfeld, especialista em medicina e cirurgia do pé e do tornozelo, existe tratamento para o joanete: “na falha do tratamento conservador, a cirurgia pode ser uma ótima alternativa e não é nenhum bicho de sete cabeças”, garante.

O ortopedista explica que, nas mulheres, a situação pode ser agravada pelo uso de saltos altos e finos.

“Esse atrito entre joanete e o sapato causa uma inflamação em várias estruturas ao redor da articulação, entre cápsula, bursa e tendões, que, dia após dia, vai se acumulando como um conta-gotas pingando sobre um copo.

Uma vez que esse copo se enche, a dor e o desconforto aparecem, a deformidade pode piorar e a dor ao usar saltos altos fica quase insuportável”.

Nestes casos, segundo o médico, é recomendável adaptar os calçados, fazer uso de medicação anti-inflamatória- sempre com prescrição médica- e aderir aos protetores locais de silicone ou adesivos.

“Esqueça aqueles espaçadores vendidos comumente na internet. Além de não ajudar, os mesmos podem até agravar os sintomas”, alerta.

Todavia, essas soluções podem aliviar o desconforto por um determinado tempo, mas a cirurgia continua sendo o tratamento mais indicado para quem sofre com o problema.

“A cirurgia evoluiu muito ao longo dos últimos anos e hoje é executada com técnicas menos invasivas que propiciam muito mais conforto e uma recuperação muito mais rápida”, explica Tiago Baumfeld, que relembra que nem sempre há necessidade de intervenção cirúrgica, sendo fundamental a análise de cada caso por um ortopedista.

Quanto à dúvida comum a muitos pacientes, sobre o joanete voltar após uma cirurgia, o também especialista em cirurgia do pé e tornozelo, o médico ortopedista Daniel Baumfeld, explica que há mais de 200 tipos de cirurgia para o tratamento da deformidade e, obviamente, algumas tem mais chance de recidiva do que outras.

“As cirurgias mais modernas hoje envolvem cortes ósseos para mudar os ângulos do metatarso e abordar o problema em sua ‘raiz’. Alguns parâmetros intraoperatórios são muito importantes de serem atingidos para que os índices de recidiva sejam menores como: corrigir a pronação, restaurar a posição dos ossos sesamóides, corrigir o formato da cabeça do metatarso, entre outros”, esclarece.

Causas

As causas do joanete podem ser dividas em causas intrínsecas, quando são próprias do paciente, e extrínsecas. “A primeira é relacionada à genética e hereditariedade, ou seja, indivíduos que tem pais e avós com o problema, tem mais chance de desenvolver o joanete.

Entre as causas externas, os calcados mais estreitos, principalmente os de salto alto e bico fino, são os maiores vilões.

Eles fazem com que o dedo se posicione de uma forma não funcional, ocasionando lesão crônica das estruturas ao redor da articulação, como a cápsula articular, o que favorece o aparecimento e a progressão da deformidade”, finaliza Daniel Baumfeld.

Os irmãos e médicos ortopedistas dr. Daniel Baumfeld e dr. Tiago Baumfeld são especialistas em cirurgia do pé e tornozelo, proprietários da Clínica Vicci e mestres em ortopedia pela UFMG. Daniel é superintendente médico do Cruzeiro Esporte Clube e Tiago é supervisor médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *