Obesidade: Pode causar artrose precoce

A pode ser causada ou até agravada por conta da

A obesidade é um fator cada vez mais preocupante nos dias de hoje, se antigamente alguém mais ‘gordinho’ era visto como saudável, hoje em dia isso não acontece mais, visto que o excesso de peso pode acarretar em várias outras doenças, a artrose por exemplo.

A artrose acontece quando a cartilagem, meniscos e ligamentos sofrem o desgaste.

Esse processo pode ocorrer por predisposição genética, mas também pode ocorrer por uma ação mecânica e química causada pelo excesso de gordura e o peso excessivo.

Daniel Carvalho, ortopedista, explica, “O excesso de peso e o acúmulo de gordura, principalmente abdominal, é o que aumenta o desgaste, que é mais comum em pessoas acima dos 40 anos idade ”.

As áreas mais atingidas por esse problema são – coluna, quadril, joelhos, tornozelos e pés.

A artrose deve ser corretamente tratada para que a pessoa possa viver normalmente.

Quase metade dos pacientes que são diagnosticados com essa doença relatam não realizar atividades físicas, por causa das dores sentidas, o que ajuda no ganho de peso, e então a adoção de uma vida sedentária.

A obesidade e a artrose tornam-se assim, comorbidades – doenças que trabalham juntas para piorar a condição do paciente.

Inicialmente tratam-se os sintomas com analgésicos, anti-inflamatórios, condro-protetores (medicação específica para proteção da cartilagem), bem como, realizando fisioterapia e hidroterapia.

Um dos tratamentos mais eficazes e modernos para melhora da dor é a Viscosuplementação, que é a infiltração de ácido hialurônico dentro da articulação.
A intervenção cirúrgica é recomendada apenas nos casos mais graves. Observa-se cada vez mais o surgimento de casos de artrose em jovens com excesso de peso que necessitam de cirurgia, visto que o tratamento convencional não tem muito efeito nessa parcela da sociedade.

Daniel finaliza, “É importante que o paciente busque tratamento e se conscientize sobre as doenças, assim ele poderá se cuidar e melhorar sua qualidade de vida”.

Por Dr. Daniel Carvalho Ortopedistas do esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *