Saiba qual a relação das doenças autoimunes e a pandemia.

A gravidade e o perigo de complicações da Covid-19, doença causada pelo novo , aumentam de acordo com fatores de saúde, determinantes para definir e incluir as pessoas no grupo de risco.

Nesta seleção, estão alguns pacientes que sofrem de autoimunes de caráter dermatológico, sendo as mais comuns, lúpus eritematoso sistêmico, psoríase, pênfigos, penfigóide e pacientes em tratamento quimioterápico de melanoma.

Mas por que apenas alguns pacientes e não todos que convivem com as doenças são parte do grupo de risco? Segundo a dermatologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Isis Veronez Minami, terão maior chance de agravamento, caso contaminados, os pacientes que tomam medicamentos imunossupressores.

“Pacientes dessas doenças que se tratam apenas com medicações tópicas não se enquadram no grupo de risco. Essa classificação é direcionada a quem faz uso de medicações sistêmicas imunossupressoras, por conta do efeito da medicação na imunidade”, explica.

Apesar disso, a médica informa que o tratamento não deve ser suspenso ou sofrer alteração, independentemente da medicação usada.

“A interrupção de forma abrupta pode causar danos à saúde e ser potencialmente perigosa.

Por isso, em princípio, o tratamento de pacientes que estão com a doença controlada deve ser mantido para evitar qualquer problema por conta da exclusão do medicamento.

E é importante que, em caso de dúvidas, o especialista seja consultado.

Isis destaca que, assim como toda a população, o foco de quem convive com as doenças autoimunes e toma imunossupressores deve ser a prevenção à contaminação pelo novo coronavírus.

Para que esse objetivo seja alcançado, a médica lembra que é preciso seguir todas as recomendações informadas pelos órgãos oficiais de saúde que se referem à higiene e principalmente o distanciamento social.

“Os pacientes que estão no grupo de risco devem manter a higiene adequada, usar máscaras e, principalmente, reforçar o distanciamento social para evitar a contaminação e possíveis complicações”, ressalta.

Por: HOSPITAL EDMUNDO VASCONCELOS Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Hospital Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.000

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *