Telemedicina: Ginecologistas também aderiram a esse método

Momento de isolamento e a podem ter efeitos delicados sobre a saúde feminina”, explica o especialista Rodrigo Ferrarese

Com o distanciamento social muitas coisas mudaram, inclusive a relação de pacientes com seus médicos, uma vez que é necessário evitar sair de casa.

Para isso, foram criados novos meios de aproximar esses profissionais de seus pacientes, através das , que podem ser realizadas em qualquer lugar pelo computador ou pelo celular, e é um método válido até mesmo para consultas em especialidades.

O médico ginecologista Rodrigo Ferrarese explica que a utilização desse meio para realizar consultas facilitou o atendimento de questões tópicas, além de algumas dúvidas que podem ser solucionadas de forma rápida.

“A pode ser muito eficiente. Quando é necessário algum tipo de exame físico urgente, convocamos o paciente depois da teleconsulta, do contrário, é possível deixar em aberto qualquer exame, coleta ou mesmo ultrassons, uma vez que são exames de rotina”, explica.

É importante ressaltar que o momento de isolamento e a quarentena podem ter efeitos delicados sobre a saúde feminina, e é por isso que a telemedicina pode ser fundamental para sanar questões simples.

Entre os problemas causados durante o período, Dr. Rodrigo destaca as crises de stress e ansiedade, lembrando que todas as pessoas estão sujeitas a esses sintomas.

Já para as mulheres, isso pode gerar queixas relacionadas a corrimentos, candidíase e sangramentos.

“Como são problemas que surgem em decorrência de uma situação atípica, é muito difícil falar em evitar ou prevenir, mas existem tratamentos eficazes que podem ser feitos à distância sem problema algum”, o médico informa.

Algumas dicas para evitar que incômodos relacionados a questões ginecológicas são simples de fazer sem a ajuda médica e devem ser mantidas sempre que possível, como o uso correto da pílula e o cuidado com a higiene íntima: evitando fazer as duchas profundas ou lavagem vaginal e roupas íntima ao dormir, utilizar calcinhas de algodão, já que é um tecido com menos chances de irritar a pele e sempre utilizar camisinha nas relações sexuais, já que é o método mais eficaz contra as doenças sexualmente transmissíveis.

“Costumo dizer que a melhor amiga da saúde feminina é a própria mulher, porque depende dela fazer os exames de rotina, como o Papanicolau, a mamografia para evitar alguma doença grave.

Além, é claro, dos hábitos para manter a saúde do corpo como um todo, dormir bem e manter uma alimentação saudável, além da prática de atividades físicas”, Dr. Rodrigo finaliza.

Por Dr. Rodrigo Ferrarese, especialista é formado pela Universidade São Francisco, em Bragança Paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *