Três dicas de prevenção contra o Incêndio durante a Pandemia

Excesso de álcool nos cômodos, eletrodomésticos utilizados ao mesmo tempo, falta de vistorias, mais pessoas dentro de casa, esses e outros fatores aumentaram os riscos de acidentes domésticos em São Paulo; especialista lista dicas para evitar incêndios nesta época

Com a chegada do novo coronavírus junto com a mudança de comportamento da sociedade, o número de chamados dos aumentou nos últimos meses. Isso porque, como grande parte da população está em casa para evitar um pior cenário de disseminação da doença, as pessoas estão utilizando mais equipamentos eletrônicos, fogão ou mesmo o próprio álcool em gel e, por consequência disso, os riscos de acidentes domésticos aumentaram. Outro fator que contribui para isso é a realidade de muitos brasileiros que moram em casas pequenas e nem sempre regularizada. Para se ter uma ideia, os incêndios apresentaram um aumento de 12,3% no estado de São Paulo entre março até o dia 20 de abril. 

De acordo com Talita Rolim, sócia-fundadora do Studio Alta Arquitetura, existem alguns pontos que devemos nos atentar para evitar um incêndio. “Como as pessoas estão mais tempo dentro de cada, aumenta a possibilidade de um eletrodoméstico gerar curto circuito ou então do excesso de álcool 70% perto de lugares inflamáveis e por aí vai. É um momento de alerta. Além disso, é preciso ficar de olho no uso de produtos de limpeza, tome cuidado com as misturas e onde será aplicado”, explica a especialista. 

incêndio
Firefighters fighting fire during training

Confira abaixo as dicas da arquiteta para evitar incêndios nesta época:

Cuidado com o uso excessivo de álcool: para se proteger da , muitas pessoas utilizam o álcool 70% como forma de higienização. Mas isso é um risco maior para os incêndios nesta época, já que a maioria usa em lugares fechados. “Se for passar álcool, tome cuidado na hora de acender um cigarro ou então certifique-se que não está perto de um lugar inflamável. Se você está em casa, lave as mãos com frequência para diminuir o uso do álcool”, salienta Talita.

Evite a : outro problema é que, quando as pessoas ficam muito tempo em casa, acabam precisando usar muitos eletrodomésticos ou qualquer outro utensílio que precisa de uma tomada, no mesmo momento e, muitas vezes, na mesma tomada. “Temos que tomar cuidado com as extensões ou os chamados benjamin, que podem ser utilizados, mas sem sobrecarregar demais a tomada. Existe também uma preocupação com as instalações elétricas muito antigas, que podem gerar um princípio de incêndio, por isso, é sempre bom manter a reforma do local em dia”, alerta. 

Evite queimar coisas em casa: com o novo coronavírus solto no ar, muitas pessoas, quando precisam sair na rua, se preocupam se o vírus fica ou não na roupa e, assim, podem querer fazer uma ‘fogueira’ improvisada para evitar qualquer tipo de infecção que tenha ficado na roupa. “Isso não é necessário, basta lavar e manter a higiene. Também evite fazer fogueiras para queimar qualquer tipo de papel”, comenta.

Ela ainda explica que outro problema que ajuda no alto risco de incêndio é que muitas pessoas moram no mesmo cômodo e as casas são muito perto uma das outras, como em comunidades. “É um cenário muito complicado, porque caso aconteça um incêndio em uma casa, ele pode se alastrar rapidamente, colocando muitas vidas em risco”, finaliza Talita Rolim.

Alta Arquitetura Fundada pelas arquitetas Aline Macedo e Talita Rolim, a empresa é especializada na elaboração e tramitação de projetos e processos junto à prefeitura e a órgãos de governo competentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *