Veja o quão importante é a vacinação contra o sarampo

Dr. Alexandre Piva Sobrinho diz que assim como a Covid-19, é uma doença altamente contagiosa e faz do Brasil o terceiro país com o maior número de casos no mundo, atrás apenas das Filipinas e da Ucrânia

Ministério da Saúde realiza até o dia 31 de agosto, a 4ª etapa da Campanha de Contra o Sarampo, que tem como público-prioritário, pessoas de 20 a 49 anos

O infectologista Dr. Alexandre Piva Sobrinho, docente do curso de Medicina da Universidade Cidade de S. Paulo (Unicid), instituição que integra a Cruzeiro do Sul Educacional, alerta sobre a importância da vacinação contra o sarampo, doença infecciosa aguda, causada por um vírus, que pode resultar em complicações de saúde e, em casos mais graves, levar à morte.

A doença que estava erradicada no Brasil até 2016, teve uma crescente nos últimos anos, principalmente a partir de 2018, e faz o País ocupar atualmente o terceiro lugar em número de casos confirmados no mundo, atrás apenas das Filipinas e da Ucrânia.

Em 2019, o Brasil teve mais de 18 mil casos confirmados em 516 municípios e em 23 estados da Federação. Apenas em São Paulo, o número de casos confirmados no mesmo período foi de 16 mil.

“Esse aumento significativo do sarampo se dá por muitos motivos, sobretudo devido à falta de cobertura vacinal no território nacional aliado à uma alta transmissibilidade da doença, principalmente em crianças menores de cinco anos.

Assim como a Covid-19, o sarampo precisa de atenção. Atualmente, o baixo índice de vacinação é explicado, em parte, pelo medo de as pessoas, saírem às ruas por conta do novo coronavírus.

É importante se prevenir contra o sarampo, haja vista que ele também traz prejuízos à saúde”, avalia Piva.

O especialista e docente da Unicid, aponta que os principais sintomas do sarampo são: febre alta, acima de 38,5º, cefaleia, manchas avermelhadas pelo corpo, que geralmente começam pelo rosto e atrás das orelhas, além de tosse, coriza e conjuntivite, inflamação das mucosas do trato respiratório, erupção maculopapular generalizada e descamação.

Dr. Piva lembra ainda, que a única forma de prevenção é a vacina disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

 “O sarampo é uma das três doenças transmitidas via aerógena, juntamente de varicela e tuberculose.

Uma pessoa pode transmitir para até 15 pessoas e isso se dá a partir da tosse, espirro, contato próximo ou direto com secreções de pessoas infectadas.

É uma doença infecciosa, febril, viral e pode ser muito grave”, alerta o infectologista.

Portrait of sick sad boy child with thermometer having fever suffering from measles or chicken pox with bumps all over face. Contagious child diseases and treatment.

A vacina contra o sarampo é aplicada com 12 meses de idade, a chamada tríplice viral, que previne contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. Com 15 meses, há a vacina tetraviral, que além das três já citadas, inclui-se a varicela.

Para adultos até 29 anos, são necessárias duas doses da tríplice viral, com intervalo de um mês entre uma e outra. Para adultos acima de 29 anos, uma dose dessa vacina já é o suficiente.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO ATÉ 31 DE AGOSTO

Piva indica ainda, que o Ministério da Saúde estendeu para até o dia 31 de agosto, a quarta etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que tem como público-prioritário, pessoas de 20 a 49 anos.

De acordo com o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, do início de 2020 até o final de junho, foram confirmados 5 642 casos no Brasil.

O país vive um surto de sarampo nas cinco regiões, sendo que há circulação ativa do vírus em 11 estados. Nesse período, foram registrados óbitos pela doença: no Pará, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Até o momento, apenas 4,2% do público-alvo foi vacinado. A vacina contra o sarampo está disponível nos 43 mil postos de saúde em todo o País.

Por Dr. Alexandre Piva Sobrinho, Médico Infectologista. Professor do Curso de Medicina da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *